"Eu considero Guaraqueçaba um pequeno mundo dentro do mundo"
- Padre Mário Di Maria - (12/07/1974 - entrevista ao Jornal Diário do Paraná)

12 de abril de 2015

Macaxeira - o fotógrafo da cultura caiçara

Recebemos com pesar a notícia do falecimento de Carlos Roberto Zanello de Aguiar, o nosso Macaxeira.

foto: Kraw Penas/Divulgação
 
        Curitibano de nascimento, quando veio ao mundo em outubro de 1949, fotógrafo da SEEC desde os anos 80, faleceu no último 09 de abril.

“Ele não era apenas um fotógrafo. Era um artista de olhar apurado que nos deixa um rico acervo de imagens que retratam a cultura do Paraná, principalmente a arte do litoral, como o fandango. É uma perda que lamentamos muito”, diz o secretário Paulino Viapiana.


        Sempre presente pelas ruas de Guaraqueçaba, pelos caminhos de Superagui, com sua simplicidade e humildade, Macaxeira nunca, ou quase nunca apareceu em fotografias, mas boa e considerável parte do acervo fotográfico sobre cultura caiçara e patrimônio no Paraná foram registradas sobre suas atentas lentes.

        Destas suas inúmeras visitas, nunca veio a passeio! Todas as vezes que chegava em Guaraqueçaba, com certeza trazia novidade aos caiçaras, aos guaranis, era material distribuído, era produzindo material, era com inscrições para exposições, era convite de apresentação, era contato de eventos, etc., sempre atento aos bastidores e encontrando lugar para nossa cultura estar presente.
        Macaxeira foi um dos primeiros a olhar, valorizar e dar o pontapé inicial em posteriores pesquisas acerca do Fandango Caiçara em Guaraqueçaba, quando indicou equipe com fotógrafos, músicos, antropólogos, a produzir os primeiros trabalhos sobre Fandango Caiçara, em Rio dos Patos. Com essas experiências constituiu seu riquíssimo acervo de peças e artesanatos caiçaras e guaranis, dentre tantos outros, também dono de um vasto conhecimento, sabendo valorizar as mais diversas manifestações culturais do povo caiçara e indígena, oportunizando-os a expor e divulgando sempre.
        Crítico como era, por vezes chateou-se com alguns que desconsideraram sua trajetória, rico e farto material fotográfico, construído por anos de trabalho de campo a fio, em detrimento de contratações novas, visando cachês oriundos da cultura. Possuía muito conhecimento e material e apenas queria utilizá-lo para divulgar nossa cultura.

        Pudemos ver um pouquinho de seu acervo no seu livro “Fandango do Paraná: Olhares”, o qual amplamente distribuiu pela região, pois não visava obter lucro sobre a obra e se compromissou a entregar a todos quanto desejassem, principalmente aqueles que faziam parte dos registros.
        Sua grande diferença: Não fez um projeto, executou e foi embora... Participou como um de nós, lutando com o setor público e privado por melhorias e oportunidades para a cultura caiçara e, neste sentido adquirindo muitos críticos acerca de sua pessoa/trabalho. Levantou a bandeira de nossa causa por amor à nossa cultura.
        Carnaval, Páscoa ou final de ano, sempre atento no Bar Akdov, em Superagui, estava ele, aguardando a oportunidade de registrar momentos.

no AKDOV tocando surdo em 2009

         A Sala do Artista Popular, em Curitiba, frequentemente recebeu exposições de artistas de Guaraqueçaba, Superagui, Guaranis, também intermediando apresentações culturais em Curitiba e exposições em outras salas, como o CJAP Centro Juvenil de Artes Plásticas, onde os alunos do Col. Est. Marcílio Dias expuseram em 2014.

em 2014 fotografando a abertura da exposição dos alunos do Col. Est. Marcílio Dias no CJAP, em Curitiba

         O conheci muito bem. Sempre o visitava na sua sala na SEEC/PR, quando voltava cheio de novidades e informações sobre futuras exposições e apresentações, também ouvia seu lamento sobre diversos empecilhos prejudiciais aos bom desenvolvimento da cultura caiçara.

        Não podemos nos despedir. Não podemos nem prestar-lhe nossas últimas homenagens. Mas em nome de toda comunidade caiçara, fandangueira, podemos dizer nosso MUITO OBRIGADO Macaxeira, pelos anos acreditando em nosso trabalho e por defendê-lo. Grande exemplo!
*******

acréscimo em janeiro de 2016

 "Macaxeira: Obra & Vida; Vida" no hall da Secretaria de Estado da Cultura, em Curitiba
 
 
 
ainda há trabalhos feitos em homenagem ao fotógrafo pelos alunos dos cursos de artes do CJAP Centro Juvenil de Artes Plásticas 
 
 
  
 

*******
        Em conversa com o Secretário de Estado da Cultura João Luiz Fiani, durante o recebimento da Bibliopraia, o Diretor de Cultura de Guaraqueçaba Leandro Dieguiz Gonçalves acerta detalhes para trazer a exposição "Macaxeira: Obra & Vida" para Guaraqueçaba e Superagui, a partir de fevereiro de 2016.
recebimento da estrutura do Projeto BiblioPraias

*******

SERVIÇO:
Exposição: "Macaxeira: Obra & Vida"
Período: de 04 de dezembro de 2015 a 14 de fevereiro de 2016.
Horário: segunda a sexta-feira, das 9h às 18h.
Local: Hall da Secretaria de Estado da Cultura. Rua Ébano Pereira, 240, Centro. Curitiba.

Um comentário:

  1. Verdade Zé!
    Nosso muito obrigado pelas tantas vezes que também lutou por nosso ideais...
    Com certeza ele foi o GRANDE PROJETO!

    ResponderExcluir

POR FAVOR, ANTES DE COMENTAR LEIA ABAIXO A LÓGICA SIMPLES PARA COMENTÁRIOS... Obrigado por nos visitar, ler, comentar e divulgar - seu novo desafio é se propor a postar - entre em contato...